Esgotamento de recursos naturais: Como não destruir nosso planeta?

planeta sofre de esgotamento de recursos naturais 2019

Desde 1970, todos os anos equipes de pesquisadores da Global Footprint Network realizam estudos para calcular o índice de esgotamento de consumo de recursos naturais do planeta.

Isso, pois desde a época, o país entrou no déficit de recursos naturais, ou seja, nós gastamos mais recursos do que o planeta consegue regenerar. O pior de tudo é que ano após ano os recursos naturais são gastos mais rapidamente.

Infelizmente, esse é um dos inúmeros dados que mostram a despreocupação das pessoas com o consumo desenfreado de água, produção de lixo, esgotos em locais indevidos, utilização de agrotóxicos, entre outros tantos pontos.

Porém, o resultado das pesquisas da Global Footprint Network de 2019 foi assustador. No dia 29 de julho desse ano, a humanidade atingiu o esgotamento de recursos mais cedo da história!

Isso quer dizer que os recursos naturais estão sendo gastos muito mais rápidos do que a natureza consegue repor.

Portanto, a partir de agora, todos os recursos usados para a nossa sobrevivência, como água, consumo animal e plantio, estarão contabilizados como “crédito negativo”.

A Global Footprint Network é a principal organização mundial quando se trata de calcular a nossa pegada ecológica, ou seja, as nossas marcas na natureza.

De acordo com a organização, cerca de 60% do dano que causamos ao nosso planeta é devido às emissões de carbono. Em 2018, as emissões globais do gás atingiram a maior alta de todos os tempos.

Debate na Vida Digital

Nesse episódio da coluna Vida Digital, nós tratamos sobre um dos assuntos mais preocupantes da atualidade: o esgotamento de recursos naturais da Terra!

É importantíssimo ter consciência de que cada vez mais o consumo excessivo do ser humano está prejudicando o planeta Terra e que, em pouco tempo, simples atividades podem acabar por causa dessas atitudes.

Para dar conta de satisfazes as necessidades humanas atuais, o especialista e coinventor da Pegada Ecológia, além de fundador da Global FootPrint Network, Mathis Wackernagel, afirmou que seria necessário usar 1,75 planeta Terra.

Porém, como não podemos multiplicar o seu tamanho, a melhor solução para resolver esse problema é aprender a como não destruir o nosso planeta!

Nesse artigo iremos tratar sobre:

  • Quais são as consequências do esgotamento de recursos naturais?
  • 5 dicas para ter uma vida mais sustentável
  • Como calcular a sua pegada ecológica
  • O planeta é nossa responsabilidade!

Confira!

Quais são as consequências do esgotamento de recursos naturais?

Embora a exploração de recursos naturais seja fundamental para a nossa sobrevivência, é importante ter em mente que esses materiais são escassos e, se usados de maneira desenfreada, irão se esgotar.

De acordo com pesquisadores, o esgotamento de recursos naturais pode ocasionar na extinção de 75% das espécies do planeta Terra.

Ao contrário do que você pensa, essa realidade não está tão longe.

Segundo a organização das Nações Unidas (ONU), atualmente mais de 1 bilhão de pessoas (18% da população) não possuem acesso à quantidade mínima de água potável para consumo.

Caso o consumo se mantenha no padrão dos últimos anos, em 2025 esse número pode passar para dois terços da população com dificuldades de acesso à água. Já em 2050, cerca de 75% das pessoas.

Em relação aos alimentos, as estimativas da ONU também não são nada agradáveis. Até 2050, quando o planeta estará habitado por cerca de 9 bilhões de pessoas, será necessário aumentar em 70% a quantidade de alimentos produzidos.

Nossos recursos naturais são infinitos?

A resposta é não! Precisamos estar atentos. Além disso, recursos como petróleo, carvão, cobre e gás natural não são infinitos e podem estar extintos em algumas décadas.

Por isso, precisamos começar a pensar em como será nossa vida no futuro, a dos nossos filhos, netos e bisnetos. Acho que não preciso nem dizer como todos esses acontecimentos irão prejudicar as próximas gerações.

Vale lembrar que o consumo de recursos naturais varia bastante entre os países. O Brasil, por exemplo, está no 13° lugar da lista entre as nações com maior consumo desses materiais.

Sendo assim, se todos os países do mundo vivessem com o Brasil, seria necessário 1,7 planeta para dar conta de todos os gastos.

Porém, os Estados Unidos são os campeões em degradação ambiental. De acordo com a ONU, se toda a população mundial vivesse como os americanos, seriam necessários ao menos 5 Terras para suprir todas as necessidades.

Mas quero deixar claro que não é impossível reverter a situação que vivemos nos dias de hoje. A WWF-Brasil, parceira da Global Footprint Network, afirma que apenas diminuindo as emissões de CO2 pela metade, ganharíamos 93 dias por ano.

No entanto, você não precisa ser uma empresa para ajudar o meio ambiente. Na verdade, algumas pequenas atitudes sustentáveis podem fazer uma enorme diferença para o planeta Terra no futuro.

5 dicas para ter uma vida mais sustentável

Ao contrário do que você pode pensar, a sua atitude faz sim muita diferença na preservação de recursos no meio ambiente.

Isso, pois ao fazer a sua parte tomando atitudes sustentáveis, você irá poupar bastante desgaste do meio ambiente.

Agora, pense se cada pessoa pudesse contribuir com ao menos uma prática sustentável? Tenho certeza de que grande parte dos nossos problemas em relação à escassez de recursos estaria resolvido.

Se você quer começar a ajudar na sobrevivência do nosso planeta, aqui vão algumas práticas sustentáveis bem simples que podem fazer uma diferença enorme ao meio ambiente:

1. Separar o lixo reciclável do orgânico

Apenas separando o lixo de maneira seletiva é possível diminuir as retiradas de matéria-prima da natureza, além de economizar energia e água que seriam utilizados no processo de produção. O melhor de tudo é que você também ajuda os catadores com sua fonte de renda.

No site Mundo Sustentável do nosso colega jornalista André Trigueiro, você encontra diversos conteúdos (livros, podcasts, artigos, vídeos..) sobre sustentabilidade, que também são apresentados em seu programa na Globo News chamado Cidades e Soluções. Várias provocações são propostas a partir de um novo posicionamento com nossos resíduos.

2. Nem sempre você precisa sair de carro

Sem dúvidas, o carro quebra um galho enorme para qualquer pessoa. Porém, usar o carro todos os dias pode prejudicar bastante o meio ambiente. Isso, pois provoca um grande aumento nas emissões de gás carbônico e na poluição.

Não me leve a mal, não estou aqui para dizer para largar de vez o carro e andar apenas de bicicleta. Na verdade, minha proposta é que você apenas diminua o uso.

Nesse caso, as bicicletas são muito bem-vindas. Além de contribuir para a sua saúde, também é uma ótima forma de economizar dinheiro com gasolina e estresse no trânsito, sem contar que ajuda bastante o meio ambiente.

Durante alguns dias da semana, você também pode optar pelos transportes coletivos ao invés do seu carro ou até mesmo combinar com os colegas de serviço que moram perto a dividirem apenas um veículo para ir ao serviço.

3. Poupar o consumo de água e energia da sua casa

Sem dúvidas, a economia de energia e água é uma das formas mais simples de ajudar o meio ambiente. Além disso, também faz uma enorme diferença nas contas que você irá pagar no final do mês.

Acredito que a dica mais comum que exista é a de não deixar as luzes da sua casa acesas sem necessidade. Porém, existem diversas atitudes que você pode tomar para economizar ainda mais.

  • Compre apenas produtos que possuam o Selo Procel de Economia de Energia: é o responsável por identificar aqueles produtos que menos consomem energia;
  • Não deixe os aparelhos no modo Stand By: Caso você não saiba, eles são responsáveis por 12% do consumo total de energia da casa;
  • Use a máquina de lavar apenas quando estiver cheia: Além de consumir bastante energia elétrica, as máquinas de lavar usam bastante água também. Você também pode optar pelos aparelhos que reutilizam a água usada na lavagem ou até mesmo usar a água para lavar a casa.
  • Não deixe a geladeira perto do fogão: ao coloca-los juntos, a geladeira gasta muito mais energia para compensar o ganho de temperatura por causa do calor do fogão.
  • Use ventiladores ao invés do ar condicionado: Eu sei, tem dias que o calor realmente fica insuportável. Porém, usar o ar condicionado não é nada sustentável, afinal, ele gasta quase o dobro de energia elétrica do que o ventilador.
  • Substitua as lâmpadas da casa por LED sempre que possível. Além de serem mais econômicas, possuem uma durabilidade muito maior.

Leia também: Será que vale a pena mesmo economizar água?

4. Utilize fontes de energia renovável

Utilizar energia renovável é um dos melhores jeitos de compensar as emissões de CO2 e diversos outros impactos no meio ambiente, evitando assim o esgotamento de recursos naturais do nosso planeta.

Isso, pois a fonte de energia mais utilizada no mundo até os dias atuais é o carvão.

Para substituir o carvão por uma energia natural, os painéis solares e usinas eólicas são as principais alternativas.

Na sua casa mesmo você pode instalar painéis solares para capturar a radiação solar, que será convertida em energia térmica ou elétrica. O grande benefício desse modelo de energia é que os impactos ambientais são mínimos e os aparelhos são fáceis de serem implantados.

Além disso, se você possui uma empresa, os painéis solares também são uma ótima forma de economizar na conta de energia. Embora os gastos para a implementação do projeto pareçam grande inicialmente, a longo prazo será uma economia enorme!

Na Paraíba, uma das áreas com maior potencial eólico do continente americano, já estão sendo instalados grandes parques eólicos no Sertão.

Nas cidades de Condado e Malta (região de Patos), um grupo alemão está montando quilômetros de placas de energias solar.

Já na famosa “Serra de Santa Luzia” um grupo espanhol está instalando um projeto de 197 torres de energia eólica. Atualmente já possuem 45 torres funcionando e fornecendo alguns megawatts de eletricidade.

A estimativa da empresa espanhola Neoenergia para 2023 é que ao menos 15 parques comecem a funcionar, fornecendo um total de 565,5 MW.

Leia também: Economizar energia da empresa: A tecnologia ajuda!

5. Pratique o consumo consciente

O consumo excessivo e desnecessário produz como uma das principais consequências a falta de recursos naturais. Isso, pois quanto mais demanda existe no mercado, maior será a produção.

Um ótimo exemplo disso são os produtos alimentares com embalagens desnecessárias. Atualmente, essas embalagens são grandes problemas para o meio ambiente, pois não são biodegradáveis, gastam uma enorme quantidade de energia para a produção e ainda são descartadas da maneira errada.

A melhor maneira de mudar essa realidade é a partir das suas escolhas de consumo.

O primeiro passo para entender o consumo consciente é perceber que qualquer produto traz consequências positivas e negativas ao meio ambiente, na economia e na sociedade.

Ao buscar por aqueles que minimizem os impactos no nosso planeta, contribuímos diretamente à preservação da natureza.

Todos nós consumimos produtos como frutas, verduras e legumes pela aparência nos mercados. Cerca de 10% da produção agrícola está fora dos padrões estéticos, mas tem o mesmo potencial alimentar.

O Projeto Fruta Imperfeita, por exemplo, é uma excelente iniciativa para combater o consumismo exagerado e a padronização estética dos alimentos. Dessa forma, ele promove a comercialização de produtos fora dos padrões estéticos e ajuda na reeducação de todos nós em prol da qualidade e não da estética.

Calcule a sua pegada ecológica!

Você já parou para pensar qual o seu impacto no meio ambiente?

Para descobrir o tamanho da sua pegada ecológica, você pode acessar o site footprintcalculator.com!

Já na abertura do site a empresa nos faz uma provocação com a seguinte frase: Quantos planetas precisaremos se todos viverem do seu jeito? É um tapa de luva que nos convida a perceber que temos grande importância sim em prol da manutenção geral da vida na Terra.

A plataforma foi criada pela Global Footprint para cada um perceber individualmente o impacto que causa no mundo.

O processo todo é muito simples, basta colocar seus dados e inserir informações sobre o quanto de carne você come, se a comida é processada, se é produzida localmente, entre outras.

O planeta é nossa responsabilidade!

Todos nós temos responsabilidade com aquilo que comemos, usamos e descartamos. Assim como somos responsáveis pela casa que vivemos, também devemos nos lembrar da importância do nosso planeta.

Ser sustentável não é apenas construir painéis solares e descartar o lixo corretamente. Na verdade, se trata de pessoas que buscam formas de ajudar o planeta e para isso se comprometem a mudar os seus hábitos.

Não me entenda errado, você pode fazer uma enorme diferença usando as dicas que passei para você acima. Porém, aquelas pequenas atitudes também fazem bastante diferença.

São inúmeros pontos que precisamos pensar, mas se mantivermos esse ritmo desenfreado de consumo dos recursos naturais, teremos sérios problemas futuramente com o esgotamento de recursos naturais.

Portanto, é fato que cada um de nós precisa efetivamente se reeducar. Desligar seu computador ao terminar de trabalhar, diminuir o consumo de plástico, separar o lixo em casa e por aí vai. Esse é o dever de casa de cada um de nós.

Além disso, ensinar as nossas crianças sobre a responsabilidade que devemos ter com nosso planeta, como separar o lixo, como reutilizar, evitar o consumo desenfreado, entre outros pontos, irá preparar as gerações futuras para cuidarem da vida na Terra.

#VamosEmFrente!

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *